Vorstellung

Essa mistura de dois, mistura essa como óleo e água, que, apesar de naturezas líquidas, quando juntas, não poluem uma a outra. Essa mistura não é complementar, mas sim somatória, e por que se faz necessária a soma? Não se faz! Mas por outro lado se quer. Ademais, poucas são as vezes que encontramos naturezas semelhantes a nossa, livres, por assim dizer, nesse caso, aproveitemos o ensejo. Questionamo-nos então quanto à questão sobre o porquê de escrever, de mostrar a visão que obtivemos a partir de leituras infindáveis – literalmente – acerca de assuntos que nunca se cansam de obter um desenvolvimento cada vez mais urdido, amplo e cada vez mais ininteligível para o populacho – é uma ótima pergunta, para a qual nunca haverá uma resposta peremptória. Tal qual a baleia que precisa sempre subir à superfície da água para respirar o oxigênio, nós, escritores, filósofos, senhores das belas-letras, precisamos escrever. Não nos basta a citação direta e indireta dos grandes e nobres pensadores: precisamos também nos tornar fortes e nobres – qual outra maneira senão pela superação do próprio ser através da escrita? A escrita que se imortaliza: a moça vaidosa que escolhe somente os melhores para dominarem-na pormenorizadamente. Somos apenas as imagens que ocupam o lugar à direita, somos crianças brincando com as palavras – nosso maior e melhor ludus –. Se somos o que escrevemos, cabe a nós decidi-lo. Não nos permitiremos a categorizações. Ademais, a procura da identidade através da escrita já é tão antiga e tão importante que faz iniciar a própria história: nós ainda escrevemos em cavernas. Ó! homens, se vocês entendessem o quão graciosas são as belas-letras, o poder de se comunicar e se tornar pleno com apenas símbolos que nos são transmitidos como letras!

Anúncios
Esta entrada foi postada em Sven.

4 comentários em “Vorstellung

  1. Antonio Paixão disse:

    Há pessoas que não podem resistir ao desejo de entrar em uma jaula contendo animais ferozes e ser lanhadas. Entram mesmo sem revólver ou chicote. O medo torna-as destemidas… Para o judeu o mundo é uma jaula cheia de animais ferozes. A porta está trancada e ele ali está sem chicote ou revólver. Sua coragem é tão grande que nem sequer sente o cheiro do estrume no canto. Os espectadores aplaudem, mas ele não ouve. O drama, pensa, está se desenvolvendo dentro da jaula. A jaula, pensa, é o mundo. Ali em pé, sozinho e indefeso, porta trancada, ele descobre que os leões não compreendem sua língua.

    Nenhum leão até hoje ouviu falar em Spinoza. Spinoza? Mas os leões não podem sequer fincar os dentes nele. “Dê-nos carne!” rugem os leões, enquanto ele ali permanece petrificado, com as idéias congeladas, com seu Weltanschauung como um trapézio fora do alcance. Uma simples patada do leão e sua cosmogonia estará esmagada.

    Os leões também estão decepcionados. Esperavam sangue, ossos, cartilagem, nervos. Mastigam e mastigam, mas as palavras são chicle, e chicle é indigerível. Chicle é uma base sobre a qual se polvilha açúcar, pepsina, tomilho, alcaçuz. O chicle, quando colhido por chicleros, é muito bom. Os chicleros apareceram na orla de um continente afundado.

    Antonio José Paixão

  2. M R Ecce Ars disse:

    “Quem escreve de modo afetado é como alguém que se enfeita para não ser confundido e misturado com o povo; um perigo que o gentleman não corre, mesmo usando o pior traje”.
    ARTHUR

    Veremos então

  3. Kátia Torres disse:

    Adorei o seu blog. Virei mais vezes, para ler com mais calma e atenção! Abraços !!

Comentem!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s